14 de mar de 2012

TALVEZ


Talvez eu venha a envelhecer rápido demais. Mas lutarei para que cada dia tenha valido a pena...
Talvez eu sofra inúmeras desilusões no decorrer de minha vida. Mas farei com que elas percam a importância diante dos gestos de amor que encontrei...
Talvez eu não tenha forças para realizar todos os meus ideais. Mas jamais irei me considerar um derrotado...
Talvez, em algum instante, eu sofra uma terrível queda. Mas não ficarei por muito tempo olhando para o chão...
Talvez, um dia, o sol deixe de brilhar. Mas então irei me banhar na chuva...
Talvez um dia eu sofra alguma injustiça. Mas jamais irei assumir o papel de vítima...
Talvez eu tenha que enfrentar alguns inimigos. Mas terei humildade para aceitar as mãos que se estenderão em minha direção...
Talvez, numa dessas noites frias, eu derrame muitas lágrimas. Mas não terei vergonha por esse gesto...
Talvez eu seja enganado inúmeras vezes. Mas não deixarei de acreditar que, em algum lugar, alguém merece a  minha confiança...
Talvez, com o tempo, eu perceba que cometi grandes erros. Mas não desistirei de continuar trilhando meu caminho...
Talvez, com o decorrer dos anos, eu perca grandes amizades. Mas irei aprender que aqueles que realmente são meus verdadeiros amigos nunca estarão perdidos...
Talvez algumas pessoas queiram o meu mal. Mas irei continuar plantando a semente da fraternidade por onde passar...
Talvez eu fique triste ao concluir que não consigo seguir o ritmo de uma música. Mas então, farei com que a música siga o compasso dos meus passos...
Talvez eu nunca consiga enxergar um arco-íris. Mas aprenderei a desenhar um, nem que seja dentro do meu coração...
Talvez, hoje, eu me sinta fraco. Mas, amanhã, irei recomeçar, nem que seja de uma maneira diferente...
Talvez eu não aprenda todas as lições necessárias. Mas terei a consciência de que os verdadeiros ensinamentos já estão gravados em minha alma...
Talvez eu me deprima por não ser capaz de saber a letra daquela música. Mas ficarei feliz com as outras capacidades que possuo...
Talvez a vontade de abandonar tudo torne-se a minha companheira. Mas, ao invés de fugir, irei correr atrás do que almejo...
Talvez eu não tenha motivo para grandes comemorações. Mas não deixarei de me alegrar com as pequenas conquistas...
Talvez eu não seja exatamente quem gostaria de ser. Mas passarei a admirar quem sou...
Porque, no final, saberei que, mesmo com incontáveis dúvidas, eu sou capaz de construir uma vida melhor. E se ainda não me convenci disso, é porque, como diz aquele ditado: “AINDA NÃO CHEGUEI AO FIM”. No final, não haverá nenhum “talvez” e sim a certeza de que a minha vida valeu a pena e eu fiz o melhor que podia.

Aristóteles Onassis




"Todos os dias temos a oportunidade de escolher o que - e quem - queremos em nossas vidas. Temos a oportunidade de escolher se queremos ser felizes ou tristes, se queremos chorar ou rir, se queremos nos levantar ou permanecer caidos. Escolhemos o que queremos ser, quem seremos ser e o que buscamos. Nossas vidas está em nossas próprias mãos e nas mãos de Deus, e não nas mãos do outro. Podemos, ainda, escolher se queremos passar por essa vida somente reclamando das situações difíceis, do que não temos, do que não conseguimos, das vezes que nos machucamos, das oportunidades perdidas... ou se queremos passar por essa vida caindo e levantando, perdoando, compreendendo, seguindo o fluxo da vida. Tudo depende de nós mesmos, da nossa força, da nossa coragem, da nossa determinação, do nosso comprometimento. Quedas sempre acontecerão, lágrimas sempre cairão, perdas sempre virão, mas o que faremos com isso? Desistiremos ou encararemos de frente vivendo intensamente cada minuto da nossa vida? Ficaremos parados esperando um milagre acontecer ou enfrentaremos tudo e todos em busca do que realmente acreditamos ser importante? A nossa primeira perda na vida é o medo de arriscar a ser feliz, pois já determinamos que não dará certo. Tudo vale a pena quando se faz com a intenção do acerto, com a possibilidade de enxergar um arco-íris, com a oportunidade de sentir e viver verdadeiramente. E você, continua parado na dúvida e no talvez ou optou por arriscar-se e buscar o que realmente deseja para si e para a sua vida? Caiu? Levante-se! Errou? Corrija-se! Machucou-se? Cure-se! Foi traido? Perdoe! E, acima de tudo, AME! Sempre há tempo! E tudo dará certo... se ainda não deu, é porque não chegou ao fim!"


6 comentários:

  1. Hoje, eu decidi ser feliz e encher meu coração só de coisas boas. Então, aproveitei o convite e vim aqui alimentar corpo e alma com estes textos lindos!Parabens, Vivi, adorei!Beijokas.

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Estou tentando me encontrar no espírito do blog; contudo gostaria de saber: o primeiro testo é do Onassis, e segundo....seu???
      Meu perfil ainda é anonimo, mas vc já me conhece ....como vc o classifica???
      Até de repente...

      Excluir
  3. Isso Celso... o segundo texyo é meu... baseado no primeiro... Obrigada pela visita! Beijos

    ResponderExcluir
  4. Vivi: palavras ligadas à consideração do tempo e espaço:
    O que fazer com que ja passou?
    "Assim fala o Senhor: "Não relembreis coisas passadas, nem olheis para fatos antigos. Eis que eu farei coisas novas, e que já estão surgindo: acaso não a reconheceis? Pois abrirei uma estrada no deserto e farei correr rios na terra seca. Este povo, eu o criei para mim e ele cantará meus louvores. Mas tu, Jacó, não me invocaste, e tu, Israel, de mim te fatigaste. Com teus pecados, trataste-me como servo,cansando-me com suas maldaldes. Sou eu, eu mesmo, que cancelo tuas culpas por minha causa e já não me lembrarei de teus pecados". (Is43,18-19.21-22.24b-25)

    ResponderExcluir
  5. Vivi, este pequeno trecho da profecia de Isaías nos faz aprender, com o próprio Deus, a lidar com o passado e com nossos eros. O Senhor nos dá um conselho: "Não relembreis coisas passadas nem fatos antigos". Lembranças dolorosas são capazes de aprisionar o coração na angústia e na depressão. Alguns dos males causados pelo ressentimento são: insegurança e medo de novas decepções [ANSIEDADE ?]; sentimentos de culpa e remorso; chantagem emocional e cobranças [TRANSTORNOS PSICO-EMOCIONAIS ?]. O ressentimento com as falhas daqueles que nos cercam torna-se uma arma de ataque em momentos de tensão: quem nunca relembrou a uma pesoa, na hora de discussão, as falhas que ela, um dia cometeu? Esse comportamento só faz aumentar a distância entre os corações que precisam aprender a maravilhosa lição do perdão.
    Por outro lado, quantos são aqueles que se privam de novas chances e oportunidades de felicidade por não aceitarem os seus próprios erros do passado...."Sabotam" a sí mesmos por não suportarem a idéia de, um dia, ter falhado. Voce conhece alguém que viva algumas das situações descritas acima? Como deve ser o coração de uma pessoa que se entrega ao ressentimento contra os outros e contra sí mesma?
    autor: Pe Antônio José, BASTA UMA PALAVRA
    Até de repente .Vivi: Saudações fraternas. C.

    ResponderExcluir